terça-feira, 12 de janeiro de 2010

Ensaios de Comunicação Erótica.




- Mas você não gozou.
( a fazer essa questão mais para si, sente-se patético e já sentia antes, mas era como um crime premeditado na saliva, auto carnificina que reduz o tamanho do pau de um cara lá onde fica a alma do pau, o herói lambuzado, suado, pendente como se tomasse um trago merecido na taberna após a batalha, se transforma em um apêndice de banha exibido na vidraçaria da padaria, lá pelas cinco horas da tarde, a gordurinha suspeita que vai ser usada no lanche do cliente antipático).
- Mas foi tesão demais.
- Se foi tesão você poderia ter gozado. Demais.
( arqueólogos encontram nesse momento a coroa de espinhos crística. a sede é uma metrópole em crescimento vertiginoso num crânio e pede vinagre, os dentes ficam cheios demais, prédios de escritórios com executivos brincando com bexigas coloridas, mongos arranha céus).
- Não é assim que funciona.
(ei, clint eastwood !!! )
- Eu sei, querida. Bobinha. Eu sei mesmo que esporrei loucamente nos teus peitos. Está aqui pra satisfazer seu gato. Isso aí.
-...
- Vou fumar um cigarro, de boa.
- Mas também não é assim.
- Claro que é, gata.
- Me abraça forte.
E eles se abraçam. E ficam ainda mais suados. Em silêncio. E dormem. Amanhã ela gozará.
º
O médico disse que o stress o deixou com a imunidade baixa. Para tomar todo, extremo cuidado com os germes. Eles sofrem mutação. Cada vez mais perigosos. Ela gosta de coisas que envolvam uma boa quantidade de germes. No rabo, por exemplo, como tirar as fezes germinadas debaixo das unhas ? As corta no curto até quase o sangue. Álcool gel ao lado da cama. Mas e enfiar a língua ? O banheiro fica longe do quarto. Correr escovar os dentes ? Mas se lambe uma bunda no início. Ele a ama. Lamberá. Mas com um comprimido antibiótico sublingual.
- E mesmo ela te fazendo sexo oral. A boca dela contêm GERMES ! Só com camisinha.
- Entendo....entendo, doutor.
Ela gosta do gosto do pau. Nada de morango, chocolate, menta. Nem bourbon.
- Goza na minha boca. Eu não engulo. Fico sentindo o gosto. Espalho na cara. Delícia.
Um antibiótico sublingual pra ela também. Mas e pra tomar ?
- Alô, cara...
- Porra, bicho, essa hora, que merda !
- Problemão. Dá idéia, é amigo ou tá de onda ?
- Conta. Fala. Vou cobrar, viado.
- Isso. Isso. Isso. Não ri. É que isso. E isso, meu. Sacou ?
- Ok, vamos lá. Eu conheço sua mulher...
- Como assim, maluco ? Conhece minha mulher ?!
- É minha prima, seu noiado. De segundo grau, mas prima.
- Pior ! Nunca engoli isso. Puta papo....sei lá, cheio de germe !!!
- Nem ela engole, pelo que você falou. Toda loirinha, toda babadinha de porra, hum....
- Me espera, tô indo aí. Não foge. Hoje te arrebento, gajo.
- Relax. E ouve aí.....
Ele deitado. Deitado é bom para stress. Ela dizendo que não com o dedinho indicador, unhas vermelhas estrelas cadentes.
- Quero te chupar em pé. Olhando pra você. Levanta daí. Quero sentir tua coxa tremer.
- Amor...
- Upa já. Levanta, gostoso.
- Vamos pirar nessa trepada. Arrumei um Ectasy louco, doido, pirado. Europeu. Eu tomo, você toma. Deixa derreter debaixo da língua. Daí chupa.
- Uhú ! Adorei. Só um homem muito tesão pra ter essa idéia !
- Sério ?
- Eu dou prum cara desses pelo tempo da minha vida. Me passa esse troço pra cá.
º
 - Você me come e já vai pro computador.
- Já te disse, princesa. Escrever um poema de amor. Nosso amor. Me empolga !
- Que nunca me mostra.
- Nosso amor sempre te mostro.
- Quero ler um desses poemas ! Agora !
- Você nunca gostou de poesia, amore...
- Passei a gostar. Um namorado poeta. Puxa, que honra. Vai, mostra.
- Que clima, saco, assim não. Foi embora a inspiração. Sumiu. Culpa sua.
- Sabe por que nunca gostei de poetas ?
- Hein ?
- Isso da inspiração. "Ai, cadê ? Onde foi ? Um vento outonal levou embora, Oh !". Puta coisa de broxa. Broxa e Bicha. Como chama isso ? Aliteração ? Broxa e Bicha. Taí teu poema.
º
Arqueiro ON.
Clarice ON.
Arqueiro diz: Ela já foi dormir...
Clarice diz: Certeza que não tem problema ?
Arqueiro: Tá até roncando.
Clarice diz: Ai, que saudades do que a gente faz....
Arqueiro diz: Eu também, nossa.....fez as fotos ?
Clarice diz: Fiz. Só suas. Só nossas.
Arqueiro diz: Já estou daquele jeito.
Clarice diz: Quando vamos poder sentir juntos o que apenas fotografamos ?
Arqueiro diz: Eu quero. Mas eu preciso fazer com que ela não encane com meu sumiço. E isso cansa.
Clarice diz: Sei. Mas não se esqueça que espero. E muito. Preciso.
Arqueiro diz: Eu também. Mas vai, agora mostra as fotos...
Clarice: ENVIANDO FOTOS....
Arqueiro diz: Noooooooosssssssaaaaaaaaaaa......Aquela genuína gravura de Dürer ! Perfeita ! E no ângulo que pedi ! Os detalhes, o chiaro/oscuro !
Clarice diz: hihihihihihhiihhiihihihihih....como você me pediu. O guarda do museu achou estranho, mas
Arqueiro diz: Desligar ! Vou ter que desligar. Acho que fiz barulho. Ela acordou !
Clarice diz: Santo, o que ela quer ?
Arqueiro diz: O que mais ? " Tesudo, vem me foder, vem me deixar louca, come meu cu !"
Clarice diz: Descontrolada. Vai. Não quero trazer problemas.
Arqueiro diz: Tenho que ir. Desculpe a vulgaridade. Um abraço. Obrigado. Fui !
Arqueiro PARECE ESTAR OFFLINE
Clarice OCUPADO. Mensagem: "Lendo Balzac".
º
- O teu último conto foi o mais previsível de todos que já li. Essa coisinha de conversa por MSN, ai, ai, que moderno.
- E esse teu quadro na parede? Essa galeria vazia ? Um Modigliani cagado e cuspido, não vai agradar nem anoréticas.
- O que você tem contra mim ?
- Pior que nada. Eu escrevo, você pinta. Tente escrever.
- Você tente pintar.
- Certas coisas só eu posso te oferecer.
- Pense. Estamos nessa há tempos. E certas coisas só eu posso te dar.
- Eu quero agora.
- Na banheiro ?
- Algum lugar mais arriscado ?
- Deixa ver. No mezanino.
- Adoro.
º
Beth, bem mais de quarenta anos. Camila, menos de vinte anos. E eu, lutando contra o calendário. Campari, suco de abacaxi com hortelã e canudinho, cerveja, respectivamente.
- Não sou um homem bonito, mas algumas mulheres dizem que tenho algo, algumas mulheres percebem no olhar, na maneira de andar, a gesticulação, que o cara é bom, isso foi o que ouvi. Sei lá se é verdade. É verdade, Camila ( Camila linda, doçura de pele clara, levemente vesga, calça jeans com a barra em fiapos, boca de sino, um totalmente pretensioso chinelo havaiana, esse piercing no narizinho arrebitado, pedra reluz o fim de tarde) ?
- Camila ?
- Que foi Bethinha ?
- Você não saca também essa coisa nele ? Está até no cheiro. Respira fundo. Não é perfume. É de Homem.
- Sempre respiro fundo. Yoga. Sabe que tem respiração para poupar e gastar energia ?
- Sei, Camila. Sei um monte de coisas. Se um dia eu pudesse te ensinar...
- Além de tudo, culto.
- Não, Beth ! O culto é um chato. O que eu sei é pra fazer minha vida e a de quem amo mais feliz. Claro, se eu for amado. Ou as páginas dos livros se tornam lugares onde depositar tristemente a solidão. Você se sente só, Camila ?
- Ah, tem a galera a facul. A gente sai, se diverte, sempre tem alguma coisa pintando.
- Camila, de mulher pra mulher. "Alguma coisa pintando" não satisfaz a gente. Precisamos de mais. Ou ficamos deslizando na superfície do gelo até ser muito tarde. Descongela com o tempo, dia a dia, e afundamos de hora para outra. Não é nada agradável.
- Odeio o frio. Meu negócio é calor. Areia, mar, ondas. Você é meio pálido, cara.
- Estou tentando sair de um momento difícil, Camila. Mas se você me chamar na praia eu vou.
- Tadinho. Precisa de colo, né ? - e dá-lhe Beth acender mais um de incontáveis cigarros.
- Receber colo é dar colo.
- Lindo ! Lindo, viu Camila ?
- Dani ! - mesmo gritando, Camila tinhas asas de fadinha no lugar de cordas vocais - Dani !! Aqui, olha, nessa mesa....tô indo aí......Beth, olha que gato....um tesão.....olha o tamanho desse homem. Que boca perfeita ! Vejo vocês amanhã. Beijo, Beijo.
- Camila, tem cara de imbecil....volta aqui....
- Deixa, Beth.
- Que porra de menina burra.
- Eu que ainda estou meio fora de batalha.
- Que nada. Olha a auto estima !
-...
- Querido, quer vir comigo? Na minha casa? Os meninos viajaram.
- Não. Obrigado.
- Não é pena. É tesão. Sempre tive. E afinal hoje é hoje.
- Mesmo assim.
- Eu entendo. Triste. Mas entendo. Bom, o que nos resta ? Feliz Aniversário pra você.
- Pra você também, querida. Feliz Aniversário. Muitos anos de vida e tal. Me dá um cigarro ?
º
  

18 comentários:

ºª disse...

agora vc anda lendo pensamentos...

Anônimo disse...

levanta daí... deixa a coxa tremer...

nessa posiçao te vejo arranha céu,
com a boca aberta

transbordando
ouro
nata
e mel.

e doem joelhos nessa doce penitência de servir por gosto
e pelo gosto.

pau com gosto de pau.
sem batom
e dessa vez, sem bourbon.

Diva (disponível): PROCURO AMOR E VULGARIDADE NA BUSCA DA FELICIDADE.

Arqueiro (invisível): TEM FOTOS?


she

Anônimo disse...

cigarro? sim...
tem fogo?

she

Anônimo disse...

Estão todos ensaiando mas perdendo o horário do show começar. Eu acho que deve existir mesmo coisa melhor pra se fazer no msn :D
Bom, meu bem. Fiz o que pude! Acho que meu comentário está meio sem nexo. aá a á a

Clàu

Fabio T. disse...

Interessante...

Lara disse...

Suas frases, estão rápidas demais..
Gosto do gozo gostoso..do sexo onde aquece mais que fogo que queima e escorre..minha lingua encosta no seu mamilo, seu silêncio vira um gemido de prazer junto ao grito de UIIIIIIIII..
Vai entra, me rasga..
Entope minha vagina com sua lingua..seu pau chega até minhas entranhas e não quero que saia e vc quer me ligar?
#

Jheferson Henrique disse...

Às vezes tudo que preciso é da maravilhosa vulgaridade do sexo. Essa expressão absurda de desejo fogo prazer loucura. Não obstante, é o amor tão sincero quanto os representados por principes encantados e perfeitos, cheios de padrões e métricas. Métricas e regras me cansam (muita das vezes até).

"Então me pega...
me come... não me peça pra te chupar. Simplesmente me sufoque com sua rola suada e deixe escorrer a porra, o fogo, o prazer.
sou seu..."

Anônimo disse...

Li e reli, aqui e acolá uma escrita do encontro/desencontro casual, de um 'não' cotidiano, e do que fazer depois do não, o que é interessante. Gostei também dessa história da coxa tremendo, você sabe usar uma imagem como quem não quer nada, para ouvintes com alucinações olfativas, como eu. Homem, venha sem menta e sem germes na impressão, (ah,os germes, esses sementes, esses adaptados, esses...). Enfia esse sublingual comprimido e jovem no bueiro e venha se contaminar com a boa viagem. Sim ou não? Não. O texto é morno. O texto tem sono. E é nisso que ele é especial, já que ele é assim mas não causa uma leitura morna e sonolenta. Basta ver os comentários das caras... leitoras.
Beijos, Abraão!


bel

Grazzi Yatña disse...

A graça desse texto (ou o que me tocou) é 'estar fora do contexto sexual'. Aquele que justamente 'ninguém' acredita que existe e há.

santa insanidade disse...

gal ja me puz na situação do arqueiro

albert-silvia-lurdes disse...

Diria adore mas na verdade gostei do nov v visual, gostaria de escrever sobre o que escrevestes mas não tive essa possibilidade por me sentir excluída.... gostaria de falar sobre essa exclusão, iacccccccccc conhece o pateta?

b disse...

Serei breve porque o assunto é diverso embora não seja.
Um passar de mão bem leve no rosto, de cima prá baixo.
Tá resolvido.
Porque se houver fio de ternura desviando de novelos de pré-ocupação com métodos ou com jeitos de ser, de fulano fulana, tá tudo resolvido.
Fios de ternura.
A enroscar meandros complicados, fazendo-os roçar nos macios.

já tenho lesadosemgeral disse...

Ou eu não entendi nada.
Mas lesada não se dá por vencida se não entender nada.
A Grazzi tá certa no que comenta.
Nada óbvia.
E tudo a ver com a intenção
Ou eu continuo a não entender nada.

Priscila disse...

Como consegue escrever assim ?
com um assunto, imagem , ou sei lá ... consegue escrever um diálogo contando uma história ?
isso é tão incrível .
(Agora uma simples confissão : quebrei a cabeça para fazer um comentário do seu nível e dos outros leitores,após terminar de ler o texto, eu vi que isso não era possível)

bjs e até o próximo post :)

Anônimo disse...

Vc é despudoradamente delicioso nas suas escolhas, olhares e derramamentos. amo esse teu jogo erótico-pop. Trepar com vc deve ser demais!!

luiz disse...

muito bom os textos

luiz disse...

parece paródias sexual. hahuahahauh

Anônimo disse...

Paulo castro lendo este texto, imagino-me com você nessa situação sexo gostoso mas proibido MISTÈRIOS